“50 Shades of Grey”: o comentário que faltava

“50 Shades of Grey”: o comentário que faltava
"50 Shades of Grey": o comentário que faltava

Pois é, andei a lutar, a lutar, a lutar contra o mainstream, e contra este fenómeno que foi o livro 50 Shades of Grey e depois o filme, mas não consegui. Literalmente, veio-me parar ao colo. Parem lá com esses pensamentos marotos! Vá!

Ontem à noite, quando discutíamos que filme íamos ver no nosso serão, deparámo-nos com o horror dos horres –  já tínhamos visto todos os filmes mais recentes no PopCorn.
Ainda não vos falei do PopCorn?!?!? Como não?!?!? Vou envagelizar!

"50 Shades of Grey": o comentário que faltava

Se não o conhecem, façam um favor a vocês mesmos e descarreguem este programa que tem TODOS os FILMES e TODAS as SÉRIES de SEMPRE em streaming, portanto não precisam de fazer download, com legendas em montes de línguas diferentes, trailers para todos os formatos e a possibilidade de criarem a vossa própria lista de favoritos. É pornográfico! É insanamente viciante. Atenção ao seu uso. Cuidado que pode destruir uma relação saudável e criar adição tipo, tipo heroína.

“Olá, eu sou a Marta e sou viciada em PopCorn”. True Story e, a bem da verdade, há coisinhas piores na para se ser vida. Moving on…

Andei para cima, para baixo, lista para a frente, lista para trás e nada. E neste fandango os meus olhos batiam sempre no mesmo cartaz “50 Sombras de Grey”. Damn! Ainda deitei a escada, tipo, tipo, não vai pegar “Ah, só há este que ainda não vimos… o 50 Shades….” (silêncio). Ele responde “Ok, se não há mais nada, vamos lá ver o filme que parou meio mundo”.

Calei-me, abri o cartaz do filme e esta história começou logo mal. No cimo da página de cada título temos sempre o ratting dado pelo IMBD, que é BIBLIA nestas coisas, e que dava apenas e somente 2 estrelas ao filme, que é o mesmo que caca de pombo. Ok. Corajosos, lá carregámos no play.

Só para terem uma noção, o meu homem só conseguiu ver 10 minutos (se tanto) do filme. Ele alegou vergonha alheia, falta de arte, péssimo acting, falas terríveis, timmings estranhos, zero de química, enfim… o homem D.E.S.T.R.U.I.U em 10 minutos o filme todo, levantou-se do sofá e foi à sua vida (perceberam agora como é que o PoPCorn pode destruir um casamento…pensem nisso).

Eu, que sou arraçada de mártir e nunca abandono um filme a meio. Nunca. Minto! Só um japonês muita estranho e super alternativo, cujo nome não me recordo, que vi quando estava num festival de cinema internacional e aquilo foi medonho! E não abandonei, descansei os olhos! #passeipelasbrasas

Não vou tecer muitos comentários sobre o filme, porque acho que já foi tudo dito e não dito sobre o dito e não me apetece ser redundante. É mau? É! É brega? É! A dinâmica é péssima? Sim! A história é medonha? Sim! Os actores não têm química? Sim! Duas mãos cheias de sins.

"50 Shades of Grey": o comentário que faltava

Mas depois uma pessoa, no escurinho do sofá começa a aceitar melhor a coisa e dás por ti a meio do filme (só a meio) a sonhar com safadezas.
A cena do gelo dá o mote (para mim a melhor interacção dos dois actores. Ponto!) e dás por ti a achar piada ao sensaborão do Mr. Grey (que é um actor que não me diz muito, aliás nem faz o meu estilo pessoal). E dás por ti a não achar maldade nas performances do Mr. Grey na Red Room.

À Anastasia, só me ocorre um pau com picos nas costas para ver se acorda, porque aquele arzinho sem sal, mas que depois-de-me-atares já-sei-fazer-tudo-e-mais-alguma-coisa não me convence, nem aqui nem na China, e se fosses minha amiga já tinhas levado umas sapas para ver se acordavas do coma-boring em que existes. #nãoconsidero.

Homens deste pais ponham os olhos em cima das fatiotas do Mr. Grey, especialmente quando ele está à civil e diria mesmo… à cowboy. Mais não digo! Há uma sensualidade na effortless do bicho em camisolas-podrinhas de andar por casa, a ver-se um pouco do peitoral, e a calça a espreitar o mealheiro (que nunca pensei vir a achar minimamente sexy). Tomei nota…

"50 Shades of Grey": o comentário que faltava

Agora, poupo-vos à tortura do filme. Se quiserem diversão parem só nas cenas calientes (muito poucas) do filme, porque a história é a mais velha da humanidade com um toque de soft-porn para donas-de-casa (diria, desesperadas):

Um homem promete a uma mulher tudo aquilo que as mulheres querem ouvir: exclusividade, prazer, protecção e uma figura paternal em troca de submissão.

Será que ela aceita?!
Não sei. Possivelmente vem no livro…

No meu, NÃO VEM DE CERTEZA.
Saquem só a banda-sonora. É o melhor da película. 

Seguir:
Marta Neves
Marta Neves

Encontrei no universo feminino a minha missão: partilhar, aprender e ajudar. Nasceu o Marta Neves, para me sentir mais eu, mais em sintonia com a minha essência. Despida de formalismos ou preconceitos, serei EU. A mulher. Apaixonada de coração pela vida e pelos outros.

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.