“Achas que Sabes Dançar”: o final, a vencedora, as saudades, os comentários e uma entrevista

“Achas que Sabes Dançar”: o final, a vencedora, as saudades, os comentários e uma entrevista
"Achas que Sabes Dançar": o final, a vencedora, as saudades, os comentários e uma entrevista

Buáaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!
Buáaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!
Buáaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!

Se eu chorasse com frequência ou facilidade este seria um momento de derrame lacrimal. Acabou o Achas que Sabes Dançar. Buáaaaaaaaaaaaaaaa! (estão a ver?!?!). Já vos tinha aqui falado do meu amor ao programa, da minha história com o formato português e do meu desejo de um dia poder vir a pertencer, de novo, a este grande show de entretenimento televisivo.

Dito isto, pois que fiquei nestas semanas todas coladinha ao ecrã a ver a Dianinha a safar-se muita bem na apresentação, a dinâmica de um painel de júri que me surpreendeu pela positiva, a ver bailarinos que conheço e que pertencem à minha escolinha de dança (Jaaaaazzyyyyyyyy), a fazer de cheerleader para muitos coreógrafos amigos e a babar por muitas prestações que me deixaram sem chão, nem reacção.
Em resumo, foi uma grande edição do Achas que Sabes Dançar. Achei que o formato estava muitooooo bem adaptado, especialmente na parte das galas. Equipa de produção, estão todos de parabéns! Clap, clap, clap.

Mas deixem-me que vos diga que a animação de domingo à noite não se esgotava no mero visionamento televisivo. Nãooooooooooooooooo! Em movimentos frenéticos fazia zappings alucinantes para não perder pitada do Achas, mas ainda ver um best-off do Dança com as Estrelas. Sim! Eu vejo os dois programas em simultâneo. Não me perguntem como, mas isso acontece em minha casa, enquanto… e pasmem-se… vou actualizando o meu feed do Facebook para ver os comentários a estes dois programas nas redes sociais, enquanto… continuam a espantar-se… escrevo freneticamente no WhatsApp, num grupo criado com as minhas BFF SÓ para comentar os programas de domingo à noite. Sim, isto é verdade!

Só vos digo que na segunda-feira de manhã venho estrábica para o trabalho. É tanta coisa a acontecer ao mesmo tempo, é tanta interactividade e tecnologia para uma miúda dos anos 80, que o meu cérebro às vezes tem espasmos de alucinação e os meus olhos querem fugir das órbitas, cada um para seu lado.

Posto isto, o que me apraz dizer sobre o término de uma das minhas paixões? Que ficou um vazio muito grande. Buáaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!! Contudo, fiquei muito feliz com a vitória da Liliana. Gostava de todos, na verdade, especialmente do top 10. Eram extraordinários, cada um no seu género e na sua dimensão corporal, mas de facto, a Lili não falhou uma única vez. Não houve um pé em falso, um braço mal colocado, uma falha de equilíbrio, um “menos bem”. Não! Ela sempre foi segura e genial no seu estilo tão próprio e único. Fiquei também muito feliz (desculpem-me o acesso de feminilidade) por ter sido uma mulher a ganhar. Nós sabemos que isso raramente acontece, por isso, Lili estamos contigo!!!

"Achas que Sabes Dançar": o final, a vencedora, as saudades, os comentários e uma entrevista

E quem não se lembra da melhor kizomba alguma vez coreografada e dançada em televisão portuguesa?!
Liliana e Gonçalo num pax de deux kizombeiro cheio de mel,  ao som de Nelson Freitas, coreografado pela dupla genial Nuno Furtado e Vanda Gameiro, numa assalto de sensualidade ao nosso ser. Gonçalo… ai, ai, ai Gonçalo, filho… num beco à noite fazia de ti um trapo! Cof cof (som de tosse).

Por último vou sentir muita falta de ver o Marque da Silva (propositadamente escrito com “e” no final) a botar faladura com o seu jeito tão especial e regional. Eu A.D.O.R.O. o Marque! Miga, és da minha terra, falas com aquele sotaque de quem tem forrado de choco frite nas veias e com aquele sal de quem é de terras sadinas com um toque de emigração. AMEI!

E amei ainda mais a entrevista que ele deu neste sábado passado no Alta Definição. Ppppppfffff… Quem não gostava de Marquinho passou a gostar. Apah sóce és même muita bacane. Super simples, sem grandes pretensões, honesto e um grande exemplo. A forma como ele falou da sua relação com os pais, da sua homossexualidade e dos tempos conturbados que fizeram de si uma pessoa sóbria e focada, foram inspiradores.

No final da noite, com o soltar dos confetis e a tristeza do adeus escrevemos todas no chat: “e agora?!”. Agora… resta o vazio que um grande programa traz, muitas boas recordações e a certeza de que no próximo domingo estaremos a comentar um outro programa qualquer. Nos aguardem!

Bancada-das-Marretas-Televisivas, porém tecnológicas, em ACÇÃO! 

Seguir:
Marta Neves
Marta Neves

Encontrei no universo feminino a minha missão: partilhar, aprender e ajudar. Nasceu o Marta Neves, para me sentir mais eu, mais em sintonia com a minha essência. Despida de formalismos ou preconceitos, serei EU. A mulher. Apaixonada de coração pela vida e pelos outros.

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.