Ana Rita Clara, a “Changer” que promete abanar Lisboa

Ana Rita Clara, a “Changer” que promete abanar Lisboa
Ana Rita Clara, a "Changer" que promete abanar Lisboa
Cheguei ao Kaffehaus às 10h, como estava marcado no convite. Não sabia muito bem ao que ia nem quem iria estar presente. Conhecia apenas poucas coisas do novo projecto de Ana Rita Clara. Sim, essa mesmo, a giraça do programa de televisão “Mais Mulher”, da Sic Mulher. Entrei e lá estava ela descontraída, sorridente, a cumprimentar TODAS as pessoas que chegavam, genuinamente feliz por ver tantas caras que acorreram ao seu desafio. Mudar.
Mas mudar o quê?
Pediu-nos, a todos, para sentarmos livremente. Reparei que todas as mesas tinham um bloco de post-its amarelos. Mas sem saber para quê sentei-me expectante. A tertúlia (sei que a Ana Rita não vai gostar desta palavra) começou logo de seguida com uma breve nota de intenções da criadora.
Ficámos assim a saber que os Change It foram criados numa altura em que a Ana, ela própria, procura respostas que sustentem as suas escolhas. Ela acredita que os diálogos promovidos por este projecto a vão ajudar a ganhar novas perspectivas, que vai partilhar com quem a acompanha. Em discurso directo, “Mudar. Elevar a natural inquietude, de quem sabe que ainda falta tanto por fazer. Construir, ir mais além e não ficar pelo comum”. E este foi apenas o seu primeiro passo.
No painel de “Changers-Convidados” estavam Isabel Stiwell, jornalista e escritora; Lúcio Lampreia, sociólogo e como gosta de se intitular, agitador social; e Tamara Alves, artista plástica. Todos à sua vez foram partilhando as suas visões de mudança e foram provocando a ávida audiência. Passavam apenas poucos minutos do inicio quando percebemos a função dos post-its de cada mesa. Desafiaram-nos a escrever uma palavra que associávamos a esta ideia de ruptura interior. Depois, à medida que o diálogo fluía, cada post-it encontrava lugar num painel, que o imortalizava para a posteridade. Uma espécie de muro das lamentações, mas em positivo. Cada palavra ou frase era dita em voz alta e lançava o repto de discussão.
“Resiliência”, luta”, “paixão”, “positividade”, “sentido”, “acreditar” foram apenas algumas das evocações. Escrevi “saber ouvir”, porque acredito que a mudança não tem que ser um furacão ou algo disruptivo com a nossa realidade. Em bom lamechas-guru-da-auto-ajuda, acredito que a mudança tem que ser interior e que, muitas vezes, ela está a uma pessoa ou a uma conversa de nós. Saber ouvir o que queremos, o que somos e o que nos rodeia. Foi este o meu lastro de mudança.
Estávamos lá cerca de 30 pessoas, de várias áreas profissionais — a “Joana”, contabilista; o “Manel”, empreendedor; a “Sofia”, maquilhadora; a “Inês”, jornalista; o “António”, coacher, you name it! Muitos foram os corajosos que imbuídos do espírito arriscaram pegar no microfone para partilhar histórias pessoais e ideias com a audiência. O discurso bateu muitas vezes no jargão “empreendedorista” e em frases motivacionais do género: “a mão que nos pode ajudar está no fundo do nosso braço”… hum…ok. Não sei se por ser um “lugar-comum” hoje em dia, se por ter sido o primeiro encontro desta tertúlia, o conceito “empreendedorismo” ocupou o discurso. Para mim ficou a faltar as ideias e a concretização. Talvez nas edições futuras… Em resumé pessoal foi uma tertúlia-de-divã cool, urbana, muito informal e despretensiosa. Gostei, ou não fosse eu a mais defensora da mudança, menos acomodada ao comum e sempre à procura da “eterna força que me empurra o espírito e incendeia a alma”, palavras da mentora. Ámen, sister!
Curioso que, no vídeo de apresentação do projecto, em Ana Rita Clara – Change It, as imagens ganham forma ao som de “Better not stop, better not stop moving (…)”, dos We Trust, um mote anunciado, em repetidas estrofes. INSPIRAÇÃO, foi a palavra de ordem e palpita-me que este será o caminho do Change It. Se querem ser desafiados, se querem partilhar as vossas experiências, se estão num ponto das vossas vidas em que precisam daquele empurrãozinho para serem uns “do-ers” marquem já presença no próximo Change It, dia 19 de Dezembro, no Kaffehaus no Chiado, sob o tema “Desconstrução”.
Ah, o pequeno-almoço é por conta da Ana. (Eiiiiiiii começaram a chover inscrições). 
Seguir:
Marta Neves
Marta Neves

Encontrei no universo feminino a minha missão: partilhar, aprender e ajudar. Nasceu o Marta Neves, para me sentir mais eu, mais em sintonia com a minha essência. Despida de formalismos ou preconceitos, serei EU. A mulher. Apaixonada de coração pela vida e pelos outros.

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.