Breaking Bridal: Se me casasse hoje fazia tudo diferente, mas tudo igual

Breaking Bridal: Se me casasse hoje fazia tudo diferente, mas tudo igual
Breaking Bridal: Se me casasse hoje fazia tudo diferente, mas tudo igual

Perceberam? Não!?
Vamos por partes. Acho que aquilo que manteria igual seria a minha família, as minhas pessoas do coração e claro o MARIDÃO!!! Mas de resto acho que faria tudoooooooooooo diferente.

Sou só eu que tenho esta panca ou há mais gente por aí igual? Por favor acusem-se! Preciso disso para a minha sanidade mental! Ahahah! Just Kidding! #NOT

Quando fui pedida em casamento comecei numa jornada insana, frenética e bem obsessiva-compulsiva para cumprir com todos os sonhos que tinha over-and-over again repetido na minha cabeça para tornar verdadeiros quando chegasse o Big Wedding Day. Até aqui tudo certo. Acho que faz parte. Muitas mulheres e muitos homens, também, sonham com este dia. É uma cerimónia e festa cheia de simbolismos que muitos idealizam a vida inteira, ou não! Tudo depende!

Eu como sempre amei casamentos e tudo aquilo que se vive quando se prepara um casamento (quer seja o nosso, o de uma amiga, o de uma conhecida, o de uma prima) tinha uma visão muitoooooo específica do que queria. E deixei-me, obviamente, levar pelo ideal, pelo sonho, por aquilo que sentia querer. E foi tudo maravilhoso. Será sempre um dos dias mais especiais e inesquecíveis da nossa vida. Foi um festão e pêras, uma cerimónia linda, tudo espectacular (à excepção de um pequeno grande pormenor que não vale a pena referir para não me enervar outra vez! ahaha).

Contudo, e especialmente, por já ter passado pelo casamento, HOJE, teria feito tudo diferente.
Calma! Amei a cerimónia. Amei o espaço. Amei o vestido. Amei a comida. Amei a decoração. Amei tudo, mas… teria descomplicado T-U-D-O! Teria feito uma coisa bem mais terra-a-terra, mais “festa para os amigos e família num contexto intimista”, estão a acompanhar!?

Não sei se esta minha nova percepção tem que ver com o facto de já ter experimentado a versão “sonho” e de ter riscado isso da minha lista de desejos, se por simplesmente saber, HOJE, que me identifico e VALORIZO outras coisas na minha vida. Se calhar estamos perante uma situação de “ambas as duas”, right!?

Hoje teria ido com um outro vestido, com um outro cabelo, teria escolhido um menu mais descontraído, talvez buffet simples, mas muito delicioso, com algumas coisas diferentes. Teria convidado outras pessoas que neste momento sinto fazerem mais parte da minha vida, e tenho sempre este sentimento de “adorava que eles tivessem ido ao nosso casamento”. Também acontece isso com vocês?!

E melhor – queria ter tido a Concha no casamento! Opah! Eu sei que é muito estúpido da minha parte achar isto, mas… é a mais pura das verdades! Eu adorava ter tido fotografias dela no nosso casamento. Como estes melhores-amigos:

Breaking Bridal: Se me casasse hoje fazia tudo diferente, mas tudo igual

Breaking Bridal: Se me casasse hoje fazia tudo diferente, mas tudo igual

Breaking Bridal: Se me casasse hoje fazia tudo diferente, mas tudo igual

Breaking Bridal: Se me casasse hoje fazia tudo diferente, mas tudo igual

Breaking Bridal: Se me casasse hoje fazia tudo diferente, mas tudo igual

Breaking Bridal: Se me casasse hoje fazia tudo diferente, mas tudo igual

Serei a-louca-da-cadela?! Simplesmente, adoravaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!

Isto para dizer a todas as “Bride’s-to-be”, conselho de amiga-mais-velha-que-já-casou, que devem fazer exactamente aquilo que sentem nos vossos corações. Concretizem aquilo que para vocês faz sentido. Se é só um jantar que querem, que seja. Se querem um palácio, que seja. É um dia único!

Eu sei que é um cliché, mas passa num abrir e fechar de olhos. Acima de tudo, divirtam-se! São as gargalhadas, as gafes, os discursos alcoolizados e os bad-dance-moves que ficam na nossa memória.

HOJE, seria para mim, para nós, um jantar simples, com a família e alguns dos amigos do coração com um festão até cair para o lado. Com muitas mais fotografias nossas e a Concha a fazer as delícias de todos os convidados. Teria gasto um terço do que gastei e utilizado o resto para estar dois meses a viajar. Seria isto. Tudo diferente em conceito, mas tudo igual no coração <3

E vocês? Também mudavam alguma coisa?

Breaking Bridal: Se me casasse hoje fazia tudo diferente, mas tudo igual

Seguir:
Marta Neves
Marta Neves

Encontrei no universo feminino a minha missão: partilhar, aprender e ajudar. Nasceu o Marta Neves, para me sentir mais eu, mais em sintonia com a minha essência. Despida de formalismos ou preconceitos, serei EU. A mulher. Apaixonada de coração pela vida e pelos outros.

Share:

7 Comments

  1. Março, 2016 / 4:16 pm

    Vou casar em Junho e já pensei nisso várias vezes (o que será ainda mais grave visto que a "coisa" ainda não se deu)! E se um dia vou olhar para as fotografias e vou achar deixar de gostar do meu vestido? E se um dia vou arrenpender-me do tipo de festa que organizei? Das pessoas que convidei? Da comida que escolhi?

    Aliás já não vejo o meu vestido de noiva à quase 4 meses e também já começo a pensar se quando o voltar a ver e vestir (só em Abril!) vou sentir o mesmo por ele.

    Enfim! Mas depois dou por mim a falar comigo própria e a pensar: relaxa! Respira fundo! É o que tu queres agora não é? Então é o que faz sentido.

    Complicadinha eu? Nãããããão 😉

    Verónica Leopoldino

    • Março, 2016 / 11:58 am

      Oláaaaaaaaa Verónica!!!!! PARABÉNS!!! MUITOS PARABÉNS!!! Fico sempre em êxtase quando sei que alguém se vai casar. É um sentimento tão bonito. É um momento tão aguardado que é verdadeiramente mágico!!! Ai que emoção! Estás bem?! Estás nervosa?! Como estás!?! Ahahaha!
      Por onde começar… "O pânico do vestido". Eu também tive esse sentimento. Lembro-me que comprei o meu vestido com mais de 9 meses de antecedência. Aproveitei uma promoção e não pensei mais no assunto. Comprei. Mas aquilo foi dificil de digerir. Estive meses e meses a olhar para as minhas fotografias no provador a pensar "será que fiz bem"?! Dá aquele aperto no coração! Mas eu pensava, amei o vestido assim que o experimentei. As minhas amigas choraram quando me viram com ele vestido. A minha mãe disse-me que era a minha cara. Opah, a partir desse momento solta o "Frozen" que há em ti e "LET IT GO"!!!! Concentra-te noutras coisas, noutros pormenores, noutras decisões. Eu amo o meu vestido até hoje. ADORO. Não o trocava por nada! A única coisa que fazia é, depois de já o ter escolhido para primeiro, se me casasse hoje levava outro diferente. Mas aquele seria e será sempre a minha primeira escolha, porque foi num assim que sempre me imaginei a subir ao altar 🙂 Pensa nisso! Sobre o resto… é o que é! Se as coisas fazem sentido no teu coração e do teu futuro-esposo (adorooooooo) é porque está certo! Não se detenham muito nessas dúvidas! Evitem só discussões ou grandes finca-pés. Descomplicar é a palavra de ordem. Tudo o que der muito trabalho ou parecer um grande esforço é porque não vale a pena. Sigam em frente e DIVIRTAM-SE!!! Aquilo que fica do dia são outras coisas. São outros momentos. Eu sei que os preparativos podem ser avassaladores. É muita coisa que se tem que pensar, conjugar e pagar! Mas é isso mesmo! Não percam o foco da celebração. São vocês! Respira fundo quantas vezes necessitares. Relaxa. Faz coisas, para além da preparação do casamento, que te deixam feliz. Faz desporto para aliviar a tensão e dar aquela recauchutada-fit para o vestido! Ahahha! E não és nada complicada, és apenas uma mulher que está a preparar o seu casamento. Miga, QUEM NUNCA!?!?!?! Ahahah! TODAS!!!!! Qualquer coisa de que necessites vai partilhando. O que puder fazer para aliviar essa ansiedade, podes contar comigo!! DIA FELIZ!!! HAVE FUN! BE HAPPY!!!

  2. Março, 2016 / 8:39 am

    Não, não estás louca! Sinto o mesmo e se repetisse tudo estaria mais descontraída, e sem preocupações com todos os detalhes. Apesar de ter adorado tudo.
    P.S – Também tive um problema – e o meu foi com os fotógrafos! 🙁

    • Março, 2016 / 11:46 am

      BOA BOA BOA!!!!! Adoro saber que não enlouqueci no processo! Ahahah! Acho que é isso mesmo – estar mais descontraída e viver mais a experiência única que é casar! Acho que esse será o meu grande conselho para a minha próxima amiga que se casar. Ui… a sério? Ter problemas ou alguma coisa que nos tire do mood-zen nesse dia é tramado. É só o único dia em que NADA pode correr mal :p O meu problema foi com o encerramento de TODAS… repito… TODAS as ruas de acesso ao espaço onde ia ser a festa e copo-de-água. Agora imagina este cenário: Eu, vestida de noiva, tive que andar QUILÓMETROS a pé, tive que me descalçar pelo caminho para chegar ao sítio. O meu pai e outros convidados, por causa dessa situação não viram o partir do bolo. Enfim… ficaram os pés sujos e uma história gira (not funny) para contar!

    • Março, 2016 / 5:20 am

      Bem, que azar!
      No meu caso, os fotógrafos foram mal escolhidos. Recomendados pela quinta e deixamo-nos ir na conversa deles. Estavam mais interessados em vender as fotos aos convidados (isto foi em 2010) do que em tirar fotos aos nossos momentos. Aliás desde que começamos a comer até ao corte do bolo não tenho fotos profissionais, por exemplo não tenho da 1ª dança, do atirar do bouquet, etc… Por outro, lado não tiveram atenção aos mínimos detalhes, há fotos em que vê a fita para pendurar o vestido, outras em que se nota o meu marido a suar em bica, etc!

  3. Março, 2016 / 7:47 pm

    Nós achamos que vamos pela parte mais intimista… Mas a verdade é que também não temos propriamente uma fortuna para gastar no casamento…

    • Março, 2016 / 11:48 am

      Que bom! A sério, se fosse hoje teria feito exactamente a mesma coisa. Intimista é sempre a melhor opção. E descomplicar!!! SEMPRE!!! O que fica são outras coisas, são outros pormenores. Apostem nisso! Em vocês. Em celebrar o vosso amor. Tudo resto é festa e bailarico 🙂 Estão no bom caminho! Qualquer coisa que possa ajudar, já sabem que podem contar comigo aka a-louca-dos-casamentos!!! DIA FELIZ!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.