Crónica “New in Town”: Na cama com… Fernando Pessoa

Crónica “New in Town”: Na cama com… Fernando Pessoa
Crónica "New in Town": Na cama com... Fernando Pessoa
Lisboa. Ano, 1908. Largo do Carmo.
Fernando Pessoa, proeminente poeta modernista, ia viver sozinho pela primeira vez num quarto alugado, num espaço não tão inspirador ou encantado, durante quatro anos, até 1912. E é este antigo “office”, onde muita magia deve ter acontecido (ai ai essas mentes), que agora se abre aos lisboetas e ao mundo, numa experiência inigualável – dormir no mesmo quarto, na mesma cama, tocar nos seus objectos, viver na pele do poeta. 
Sabe-se que as cartas que ele escreveu nesta altura estavam carregadas de solidão. Não porque o local o transmitisse, estamos a falar de uma localização central, bem no coração de Lisboa, de frente para uma praça cheia de vida e tradição – O Largo do Carmo – que foi palco de episódios marcantes da história de Portugal. As ruínas góticas do Convento do Carmo evocam as memórias de um terramoto devastador (1755) e a praça encantadora que se vislumbra do pequeno quarto relembra poeticamente a Revolução dos Cravos de 1974, local onde a população se juntou para ver cair o governo fascista.  
A mesma memória colectiva seguida por Ricardo Belo de Morais, quando escreveu o livro O Quarto Alugado , A Vida de Fernando Pessoa Revisitada por um Velho Amigo, uma espécie de biografia romanceada que conta a estória de Vicente Guedes, um dos heterónimos de Pessoa, que enquanto assiste à Revolução dos Cravos olhando pela janela do nº18 do Largo do Carmo, decide revelar a sua existência. Para tanto, resolve escrever as suas memórias, porque se apercebe que com a chegada da tão aguardada liberdade, a enorme obra de Fernando Pessoa pode ser totalmente publicada, sem tabus nem censuras. 
Esta personagem fictícia, criada para escrever a primeira fase do Livro do Desassossego, é o mestre de cerimónias das aventuras e desventuras do mais universal escritor português e o nosso perfeito cicerone para nos aventurarmos e inspirarmos num quarto com história e memórias.  
Sigamos a premissa Pessoana e de Morais, aventuremo-nos neste quarto para descobrir que segredos esconde, que magia encerra, que inspiração nos traz.
Localizado no centro da cidade, este pequeno quarto, que dá para dois hóspedes, tem todas as acomodações modernas, com transportes a escassos minutos: Metro, Eléctrico, Bus e Comboio.
Mas eu proponho mais! A pé, fazer o circuito de Pessoa. Sair de casa, virar à esquerda, passar pela antiga leitaria da Trindade, beber um copo de vinho e comer um queque.  Vaguear sem rumo nem propósito da Brasileira ao Martinho da Arcada. Terminar o dia, às 19h em ponto como o Poeta, a beber, na mesma mesa de sempre, um café a fumegar, divagar nos pensamentos, escrever um poema.
“É como se esperasse eternamente A tua vinda certa e combinada Ai embaixo, no Café da Arcada – Quase no extremo desse continente”.

Na pele de biógrafo, cada hóspede da Fernando Pessoa Xperience constrói uma visão abrangente e emocionada de Pessoa, inspirando-se neste espaço, que foi um verdadeiro construtor de sonhos ou não seria Dele, “todos os sonhos do mundo”. 
Seguir:
Marta Neves
Marta Neves

Encontrei no universo feminino a minha missão: partilhar, aprender e ajudar. Nasceu o Marta Neves, para me sentir mais eu, mais em sintonia com a minha essência. Despida de formalismos ou preconceitos, serei EU. A mulher. Apaixonada de coração pela vida e pelos outros.

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.