É o bicho, é o bicho vou-te devorar… gastroenterite virótica eu sou!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

É o bicho, é o bicho vou-te devorar… gastroenterite virótica eu sou!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
É o bicho, é o bicho vou-te devorar... gastroenterite virótica eu sou!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Soltem o Iran-Costa-da-Enfermidade que a bicheza abateu-se sobre o nosso lar! Eu e maridão ficámos impróprios para consumo, de cama, deitados à espera que passasse. Na saúde e na doença… literalmente :p
Desculpem a ausência aqui do nosso estaminé, mas valores mais altos se levantaram, ou melhor, nos deitaram a baixo!

Foi o degredo, o fim-do-mundo em vómitos, náuseas, má-disposição, febre, mau-estar geral e dores de cabeça infindáveis. Já estão com ciúmes, eu sei!
Veio pela calada da noite, na madrugada de quarta-feira e só está a fazer o check-out agora. Acautelem-se, meus amigos que a bicheza anda por ai. Na sexta, farta desta condição de enferma e já preocupada com o avançar dos sintomas, embarquei na verdadeira aventura de ir às urgências do hospital para saber afinal do que se tratava.

Veio a confirmação esperada (e ainda bem que era este o diagnóstico) – gastro por contaminação viral. Ai que bom! Que alegria! Que emoção! Só que não!
O que há a fazer? NADA mais do que controlar os sintomas. Muita dieta, repouso e esperar que passe. Obrigada, bom dia.

É o que a pessoa tem feito…
Hoje já de volta ao trabalho, já a sentir-me um bocadinho mais feita de si, sem ser uma náusea ambulante.
Agora, durante este período de ausência algumas notas importantes que gostava de partilhar com vosmecês:

1) Porque é que quando uma pessoa tem que fazer dieta por razões de saúde e abate uns quilinhos na enfermidade não há um biquíni para mostrar? Não há! Não há uma praia. Não há um destino paradisíaco para ir espalhar charme (ou doenças) ou um evento onde nos tínhamos que espremer para entrar no vestido. Não há!

2) Porque é que quando uma pessoa está impossibilitada de comer outras coisas que não bifinho grelhado, arrozinho branco, sopa de cenoura com arroz, maçã assada (bliiieeeccccccc), torradinha com doce e chá até rebentar os olhos não pensa noutra coisa que não: feijoada à transmontana, prego no prato, francesinhas, hambúrgueres com molhos, batatas fritas, chocolates, gelados e todas as sobremesas do mundo? Há muita injustiça neste mundo…

3) Porque é que uma pessoa quando está impossibilitada de colocar na sua boquinha tudo o que não seja desenxabido surgem todos os convites para jantares e almoços com amigos e família que nunca acontecem quando estamos bem de saúde? Porquê? As pessoas sabem que estamos assim e fazem de propósito para recusarmos o convite ou irmos e não comermos nada!? Obrigadinha amigos e família. Obrigadinha!

4) Porque é que quando estamos sedentos por comida vamos ao Instagram e só vimos pessoas a postar alegremente as suas fotografias de TUDO o que comem?!?! A sério que é sempre assim ou sou só eu que estou susceptível a esta questão da comida? A sério que 90% dos posts do Instagram são sobre comida? “Olha onde estamos a almoçar” – Pumbas! “Olha que refeição deliciosa” – Pumbas! “Têm que vir experimentar este sítio” – Pumbas! “Mega brunch hoje” – Pumbas! “Olha nós neste jantar super-fancy” – Pumbas! A sério…isto foi um grande abre’olhos insta-culinário. Agora pensem! (adoro esta expressão)

Estas é que são as grandes questões da vida.
Boa segunda-feira… I’M BACK!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

É o bicho, é o bicho vou-te devorar... gastroenterite virótica eu sou!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Seguir:
Marta Neves
Marta Neves

Encontrei no universo feminino a minha missão: partilhar, aprender e ajudar. Nasceu o Marta Neves, para me sentir mais eu, mais em sintonia com a minha essência. Despida de formalismos ou preconceitos, serei EU. A mulher. Apaixonada de coração pela vida e pelos outros.

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.