Idiossincrasias paradigmáticas do ser: Aracno(muita)fobia

Idiossincrasias paradigmáticas do ser: Aracno(muita)fobia
Idiossincrasias paradigmáticas do ser: Aracno(muita)fobia

Eu não sei se deveria estar a revelar isto num espaço tão público, mas se é para keeping it real então é para partilhar. E este tema não surgiu assim do nada, até porque por mim, poderia desaparecer da face da terra. Já vão perceber porquê.

Não sei se foi de ter visto em piquena o célebre filme “Aracnofobia” ou de ser simplesmente uma maricas de primeira apanha, mas no reino dos insectos (que são muitos) as aranhas estão no top of the top of the fobia.
Eu não posso com insectos em geral, aliás, aviso desde já que se estiver na presença ou na iminência da presença de algum eu vou gritar, fugir, saltar, berrar, espernear por isso saiam da frente.
Nunca me digam nenhuma destas frases: “que é isso que tens ai?” ou “olha tens ai um…”, porque eu vou partir para a corrida dos 100 metros em modo Obikwelu.

Abro aqui um parêntesis para falar também na minha animosidade para com as abelhas. Nunca fui picada, mordida, perseguida por nenhuma, mas morro de pânico por saber que elas picam e que dói para xuxu. Por isso, quando avisto uma, pernas-para-que-te-quero. É ver a Marta em belas figuras, é o que vos digo. Eu sou a pessoa que corre pela praia em perfeita descoordenação motora a fugir de uma abelha que está a pairar a toalha e que depois se esqueceu que não tem a parte de cima do bikini vestida. Ou que… ou que… assusta uma família eslovena perdida no meio do nada com uma abelha (mas este episódio fica para outras núpcias). Yes, it’s me… (que vergonha!!!).

Tudo isto para dizer que andava eu muito leve e fofa a transitar por essa Lisboa fora, quando dou de focinho com MONTES de cartazes a anunciar uma mostra que vai inaugurar – “O Fascinante Mundo das Aranhas e dos Escorpiões”. Ai que bela coisa para eu ir visitar. Primeiras!!!!!! NOT!!!!
E o cartaz é nada mais, nada menos do que uma mancha gigantesca branca onde paira uma tarântula HORRÍVEL em grande destaque. Juro-vos que aquilo faz-me uma impressão que não vos conto. Não consigo olhar. Da primeira vez ia tendo um acidente e de todas as outras vezes que lá passo (tipo, tipo todos os dias) tenho que desviar propositadamente o olhar.
Hello?!?!?!?! Miss Freak da Aracnofobia, a bicha não está lá, é só uma imagem em 2D. Ppppffff… mas até custa olhar. É normal?! Vocês também têm estas pancas?! Contem-me tudo. De que têm medo?

Deixo-vos com o cartaz que me atormenta (e nem sabem o que me custou tirar isto da net). Que feiosaaaaaaaaaaaa, senhores.

Idiossincrasias paradigmáticas do ser: Aracno(muita)fobia

Seguir:
Marta Neves
Marta Neves

Encontrei no universo feminino a minha missão: partilhar, aprender e ajudar. Nasceu o Marta Neves, para me sentir mais eu, mais em sintonia com a minha essência. Despida de formalismos ou preconceitos, serei EU. A mulher. Apaixonada de coração pela vida e pelos outros.

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.