#Michelle2020

#Michelle2020
#Michelle2020

POW POW POW!

#MICHELLE2020
Este deve ter sido o hastag mais utilizado nas redes sociais no pós eleição de Donald Trump. Há uma vontade muito grande em que Michelle Obama regresse à Casa Branca e seja, finalmente, a primeira mulher presidente dos EUA. Se ela pode? Pode e deve! As últimas estatísticas revelam que em termos de popularidade e imagem positiva Michelle está por dois pontos percentuais à frente do seu marido. Há um consenso muito grande na sua imagem e na sua capacidade para liderar. Quem sabe…

Já muito se disse, já muito se escreveu, já muito se debateu sobre esta eleição, sobre os resultados, sobre um futuro incerto e assustador que nos aguarda para os próximos 4 anos (pelo menos). E o sentimento que ficou no pós-eleição foi este – os Obama vão sair da Casa Branca… 

Buáaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!!

Aquela família que durante 8 anos nos apaixonou e deu o exemplo em matérias de diplomacia, de educação, de cidadania e de comunicação vai agora abandonar os muros protegidos da Casa mais bem guardada no mundo.

Buáaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!!

Se os actos do Presidente Obama são mensuráveis pelas reformas políticas que conseguiu aprovar durante os seus dois mandatos, pelas políticas que conseguiu instituir e pelas medidas que sempre quis passar, o papel da Primeira-Dama não se esfumou neste Presidente de Esperança. Michelle sempre, desde as campanhas eleitorais manteve-se firme e forte, junto ao marido e às causas que abraçou. 

Ela poderia muito bem ter ficado na sombra, ter apenas pousado para as fotografias, ter criado as filhas adolescentes e isso já bastava, mas não. Ela quis fazer a diferença, quis envolver-se, quis a aproveitar a sua influência para implementar programas relacionados com o combate à obesidade, com a educação e com a igualdade de direitos das mulheres. E saiu-se muito, muito, muito bem. Há qualquer coisa na pose, no discurso, na mensagem e na imagem que ela passa que grita credibilidade, inteligência e poder (força). Eu votaria nela! Michelle se quiseres voltar eu estou contigo. 

Depois desta inundação de hastags ela viu-se obrigada a responder ao desafio, disse apenas que neste momento não pensa em fazer mais nada do que viver uma vida mais descansada, voltar às suas rotinas, poder andar na rua descansada sem milhares de seguranças e viver a família normalmente. 
Michelle, filha, dou-te um ano para estares de vacances de normalidade e depois voltas à labuta, tens que ser tu a tirar Trump da Casa Banca. Pleaseeeeeeeeeeee. Pensa nisso, ok? Abraços, miga!

Para uma despedida em grande, Michelle faz capa pela terceira vez em 8 anos da Vogue Americana e aqui está ela, diva, plena, confiante a mostrar que se ela voltar, vai voltar em grande. Acho que vamos ouvir ainda falar muito de Michelle. Hope so (emoji das mãos juntas!)

#Michelle2020

#Michelle2020

#Michelle2020

Seguir:
Marta Neves
Marta Neves

Encontrei no universo feminino a minha missão: partilhar, aprender e ajudar. Nasceu o Marta Neves, para me sentir mais eu, mais em sintonia com a minha essência. Despida de formalismos ou preconceitos, serei EU. A mulher. Apaixonada de coração pela vida e pelos outros.

Share:

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.