Polémica: é apropriado levar crianças para desfiles de moda?

Polémica: é apropriado levar crianças para desfiles de moda?
Polémica: é apropriado levar crianças para desfiles de moda?

Legenda da foto supra em modo balão de pensamento de BD:
(olhem bem para a cara das ilustres celebridades)

Kim Kardashian: Onde é que ficou a chucha da miúda, pah! Tinha mesmo que chorar agora? O outro (leia-se Kaney) já me vai atazanar a cabeça. Ppppffff… E tinha logo que ficar ao lado desta. Quando chegar a casa tenho que pedir à minha mãe para me benzer o olhado. Já estou com um quebrante que nem me aguento!
Beyonce: Damn! Tinha que ficar ao lado desta bimbalóide com a sua birrenta filha?! Agora percebem porque não tiro selfies com ela. Falsa. Disse que vinha sem a filha e eu não trouxe a Blue. Só para a filha dela ficar melhor cá’minha. Falsa. Agora é bem feito, que ela abriu a guela prá’prenderes.
Jay-Z: Prontos! Já vou ouvir a Queen até casa. “Que teve que ficar ao lado da outra. Que teve que levar com a filha da outra. Que ficou com baba da Nori na camisola”. Não mereço. Eu só estou aqui para ver as vistas… que, por sinal, estão hot hot hot. Ainda bem que aqui não há elevadores. Ufa!
P-Diddy: Tirei eu o animal morto do armário para fazer uma aparição pública deste nível, pus o óculo para ficar até mais intelectual e levo com a pestinha pelos ouvidos? Nos anos 90 isto não era assim…
Ana Wintor: THIS IS NOT F.A.S.H.I.O.N. Nem vou tirar os óculos para não me chatear!

Está lançada a polémica!
Eu sei que este é um tema quente, quente, porque junta a santíssima trindade inquestionável de parenthing: 1) mexe com decisões parentais (cujos progenitores acham que estão sempre correctas); 2) com opiniões alheias (sempre erradas, pressuponho); 3) e limitações sociais. Cha-Boom! Explodiu o caldeirão do bom-senso.

Ora bem, este pequeno dilema social que hoje vos trago vem com um contexto fortíssimo. Fomos inundados na semana passada com imagens across de world do desfile da Adidas (com a colecção desenhada por Kaney West) e de Alexander Wang que em comum tinham a predominância de preto, de cores monocromáticas e de CRIANCINHAS nas primeiras filas dos desfiles. Nomeadamente, especialmente, predominantemente, fotografias da Nori, filha de Kim Kardashian e Kaney a fazer a maior birra do século e o resto da audiência a tentar disfarçar o seu incómodo perante a situação. Why? Why? Why? Eles não acharam melhor deixar a petiz com uma amiga, tia, avó, prima no sossego do lar, confortável, a brincar, a ver os bonecos ou o Keeping Up With The Kardashians?! WHY?!?!?

Para quem não sabe, a little education: as primeiras filas dos desfiles nas principais semanas de moda são assim BAFO! O equivalente à primeira fila do primeiro dia de rebajas da Zara, ou seja, mega, mega, mega exclusivo. Quem já assistiu a desfiles sabe, também, que o ambiente que se vive no backstage e no venue é muito específico. Predominância de pessoas com uma forma de vestir muito excêntrica, álcool, música bastante alta, muitas fotografias, selfies, pessoas a gritar e stressadas, muita confusão, acotovelamento para brindes e matança por borlas. Everyone knows this, right?!

Agora a pergunta é: perante este cenário é-vos apelativo pensarem em levar a vossa criancinha para um ambiente destes? É quase um… vou sair à noite para o Trumps e acho que devo levar o meu sobrinho de 3 anos para lá. Será porque pensam que é cool? Que assim as crianças desenvolverão o seu lado artísticó-cultural? Mas que criança de 3 anos é que consegue perceber o que é um desfile de moda e interpretá-lo à luz do que realmente é? Será que esta criança se vai lembrar do que viu e sentiu? (provavelmente não). E será que o estilista quer uma criança na sua fila da frente, correndo por isso o risco de desvirtuar o ambiente que quis criar (a mesma coisa que miúdos de 16 anos irem para o Plateau)? Ou será que são as mães e os pais que querem criar esta imagem super à-frentex de “Somos muitá modernos. Levamos a nossa filha super bem comportada e avançada para a idade, para todo o lado em modo canguru-fashion-statement”. Não sei… genuinamente não sei.

Vá, vá! Venham de lá essas conjecturas super fundamentadas (e fundamentalistas, por vezes) da melhor-pedagogia-soció-infantil-parental-do-universo que eu não sei responder a isto.
Sei que se fosse eu (e não me caia o mundo se um dia fizer o contrário!) não levaria o meu filho(a) para um ambiente destes. Mais do que achar que não é um ambiente apropriado para uma criança, acho que ele(a) ia apanhar a maior seca da sua vida, sentir-se aborrecido(a) e, aí, a probabilidade de fazer birra aumentaria uns 200%. Acho que não arriscaria o mico e a chatice.

Pergunto, só para terminar esta grande reflexão: será que esta necessidade dos pais quererem expor os filhos a demasiadas coisas completamente desajustadas da sua idade (e necessidade) não cria exactamente o oposto – crianças altamente desajustadas da infância que lhes pertence?!

Seguir:
Marta Neves
Marta Neves

Encontrei no universo feminino a minha missão: partilhar, aprender e ajudar. Nasceu o Marta Neves, para me sentir mais eu, mais em sintonia com a minha essência. Despida de formalismos ou preconceitos, serei EU. A mulher. Apaixonada de coração pela vida e pelos outros.

Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.