Vale tudo para ter um like?!

Vale tudo para ter um like?!
Vale tudo para ter um like?!

Estou com vergonha alheia…
Neste momento estou com vergonha alheia depois de ter visto um segmento do Você na TV
O tema era  “Jovens que procuram o Estrelato na Net”. O banner interessou-me e subi o som da televisão para ouvir os dois convidados. Vi na imagem dois rapazes, adolescentes, sentados um ao lado do outro, e o psicólogo Quintino Aires a perfazer a terceira pessoa do painel de entrevistados. Cristina Ferreira começa a introduzir a história do primeiro rapaz.

Percebo que Fábio Martins tem 19 anos, já não estuda, não sabe o que quer fazer profissionalmente, “talvez ser actor ou assim…” e faz vídeos para o Youtube e Facebook com “desafios” que o colocam em situações propositadamente constrangedoras ou perigosas em troca de likes.  O seu momento mais conhecido foi quando lançou para o ciberespaço a possibilidade de se passear por um supermercado em fio dental em troca de likes. E os seus seguidores fizeram-lhe a vontade.

O último desafio já não correu tão bem, até porque lhe valeu a saída do Facebook por conteúdo considerado perigoso, uma vez que ameaçou atirar-se de uma ponte em troca de mais likes. Esta ameaça provocou a indignação (e preocupação) de alguns dos seus seguidores que avisaram as autoridades, que se apresentaram em casa do adolescente para perceber o que se passava.

Hoje, ele está na televisão, no programa matinal de maior audiência em Portugal, a tentar explicar, sem o conseguir, o porquê deste tipo de vídeos. Cristina Ferreira debate-se com a mesma questão que assola a minha mente. Porquê. Porque é que este jovem acha que desta forma irreverente e perigosa vai conseguir atingir os seus objectivos, que por sinal parecem estar ligados à representação?
O que é que o motiva? Pior. O que é que está a motivar os jovens de hoje a fazerem este tipo de vídeos que os compromete, que pode por em causa a sua vida, a sua integridade, a sua família e amigos? Em troca de quê? Reconhecimento instantâneo? Likes? O que é que isso significa na vida real? Ele continua a não saber bem o que quer. Continua a não ter emprego. Vive em casa com os pais. Em que é que este tipo de atitudes contribui para o seu crescimento?

Já Gonçalo Carter ficou “conhecido” por ter postado um vídeo em sua casa, a preto e branco, com música de fundo a explicar a sua orientação sexual, lendo a mensagem no telemóvel que escreveu à sua mãe para lhe contar que era bissexual (não consigo encontrar o vídeo para partilhar com vocês).

Voltamos para estúdio e Quintino Aires tenta perceber a razão que levou este rapaz a partilhar esta mensagem com os seus seguidores. Quando questionado sobre a reacção dos que o seguem, Gonçalo afirmou que os comentários eram maioritariamente positivos e que sentia que este vídeo o tinha ajudado, mas também que tinha ajudado outras pessoas. Quintino reforçou a atitude corajosa do rapaz, advertindo para o facto deste tipo de comunicações serem fundamentais serem feitas em particular, em família, num ambiente controlado e seguro.

No decorrer desta conversa percebemos que Fábio começa a ficar desconfortável, faz alguns gestos que o denotam, e Cristina pergunta se ele está chateado. Ele anui com a cabeça e explica que está apenas chateado com algumas coisas, mas não particulariza. Aliás, não consegue explicar-se. Cristina pergunta-lhe se tem que ver com o facto do Quintino ter criticado algumas das suas atitudes. Ele confirma.

Depois Cristina Ferreira pergunta aos dois porque é que eles estavam chateados. Porque é que antes de entrarem em directo no programa estavam num bate-boca. E foi ai que a coisa descambou. Foi ai que se notou que a maturidade não vem quando se carrega no rec. Dois adolescente, bastante imaturos, começam numa troca de galhardetes, num lavar de roupa suja, porque aparentemente um diz que o outro anda a espalhar que os dois andam juntos e bek bek bek. Uma verdadeira luta de divas-adolescentes-da-internet-em-televisão, um momento Casa dos Segredos à lá Youtube, como se valesse tudo, como se aquele palco fosse o quarto onde costumam gravar os seus vídeos pessoais. Por uns intermináveis segundos ficou um ambiente terrível e Cristina Ferreira do alto do seu profissionalismo e maturidade diz “Obrigada. Vamos acabar”.

FIM.

Aqui fica o link para verem este segmento do programa e tirarem as vossas próprias conclusões.

E vocês o que acham? Vale tudo? Como é que podemos encarar esta presença dos jovens no mundo virtual da Internet e do Youtube? O que é que é real e o que é que é encenação? É para chamar à atenção? É o quê?

Conto com as vossas respostas para lançar o debate. 

Seguir:
Marta Neves
Marta Neves

Encontrei no universo feminino a minha missão: partilhar, aprender e ajudar. Nasceu o Marta Neves, para me sentir mais eu, mais em sintonia com a minha essência. Despida de formalismos ou preconceitos, serei EU. A mulher. Apaixonada de coração pela vida e pelos outros.

Share:

2 Comments

  1. Setembro, 2015 / 12:22 am

    Vi isso hoje no Facebook. Não sei como me apareceu, talvez proposto por algum amigo meu. Tive curiosidade de ver, depois nem vontade de rir me deu. Eles querem os seus minutos de fama, nem que seja caindo no ridiculo. mas para ter fama é porque existe gente que lhes dá importancia. A Cristina Ferreira esteve bem.

    • Setembro, 2015 / 11:51 am

      Foi impressionante, não foi!? Estou genuinamente preocupada com algumas tendências de consumo, pelos mais jovens, nas redes sociais. Acho, muito sinceramente, que esta problemática carece de uma maior reflexão por parte da sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.